Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

a world in a grain of sand

um mundo num grão de areia

a world in a grain of sand

Fim de férias e algumas considerações

Sofia
11
Jul20

As férias estão a chegar ao fim e, ao contrário dos outros anos em que sentia um pequeno entusiasmo por voltar ao trabalho, este ano não me sinto motivada. O regresso é mais suave por estar em teletrabalho, mas o teletrabalho, apesar das suas várias vantagens que permitem optimizar o tempo e aproveitar melhor a vida familiar, parece retirar-me um pouco da essência do regresso ao trabalho. Ainda assim, sinto-me grata por estar em teletrabalho e sobretudo por ter trabalho. Quando vejo o noticiário e me deparo com tudo o que se passa, tenho de me sentir grata por aquilo que tenho. Esta gratidão não me faz sentir menos as preocupações e o peso dos dias, mas permite-me manter o equilíbrio e saber que nem tudo é mau.

Apesar de estas férias terem sido feitas num contexto diferente que gostaríamos que não existisse, foram boas, quase excelentes. Tive a sorte de estar alguns dias na Costa Vicentina em casa de familiares e poder aproveitar o bom tempo para apanhar banhos de sol no terreno. Ainda consegui fazer duas caminhadas pelas redondezas que aliviaram as minhas pernas entorpecidas. Apesar de todos os cuidados que tive em colocar sempre o protector solar (factor 50), não estar ao sol nas horas de maior calor e usar chapéu, não consegui escapar a um pequeno escaldão na parte superior dos braços. Pensava que este ano fosse diferente, mas, pelo aspecto irregular do escaldão, faltaram-me dois dedos de creme para ter escapado às queimaduras. Mais atenção, Ana Sofia!

 

 

Os dias na Costa Vicentina foram revigorantes porque, desde que a pandemia nos confinou, mal saio de casa e, quando saio, como vivo numa zona movimentada, uso máscara mesmo ao ar livre. Poder estar ao ar livre no terreno, sem máscara, sem preocupações e a ouvir apenas as rolas e outros pássaros foi o suficiente para me dar fôlego para a segunda metade do ano. Por viver numa zona movimentada, não é possível descansar da mesma maneira. Por isso, digo às vezes ao meu namorado que um dia nos devíamos mudar para uma zona rural. Vontade não falta, mas as oportunidades de emprego não são as mesmas, pelo que, a haver mudança, terá de ser tudo bem planeado.

Quero acreditar que o teletrabalho será mais aproveitado no futuro e que isso permitirá investir no interior. Todavia, para que isto aconteça, será necessário investimento nas telecomunicações. Por ter passado quase dois anos a vender serviços de telecomunicações de todas as operadoras, apercebi-me das assimetrias existentes entre o litoral e o interior ainda antes de a pandemia as tornar um tema de conversa. Infelizmente, é um tema falado em momentos de pesar, como são os incêndios e como o é agora esta pandemia, mas é preciso que o tema continue a ser discutido mesmo depois das tempestades. É preciso continuar a expandir e melhorar as redes para que quem esteja em determinadas zonas não se veja totalmente isolado. Quem diz redes de telecomunicações, diz também outras redes, pois é preciso garantir condições essenciais para que as populações possam viver com maior autonomia e segurança.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.