Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a world in a grain of sand

um mundo num grão de areia

a world in a grain of sand

Um poema para cada mês - Junho 2021

Sofia
24
Jan21

Espero que estejam a ter um bom Domingo e que se encontrem bem. Para quem ainda não votou, não se esqueçam e não tenham medo. (Até ao lavar dos cestos é vindima.) Pelo que tenho visto e comentado com quem conheço, as filas não estão impossíveis de aguentar e as coisas até estão organizadas. Confesso que ando com medo do bicho... Como o meu namorado hoje trabalhava, aproveitámos e fomos votar assim que as urnas abriram. Espero que o meu voto sirva para afastar certos bichos. Também ando com medo do vírus (já me bastou uma vez e tem sido terrível ver o aumento de casos), mas há outros vírus por aí que também são perigosos e com os quais também temos de ter cuidado.

Pensei não continuar com esta ideia de partilhar um poema para cada um dos meses deste novo ano (é que por este andar o ano já nem é novo), mas é importante também sabermos levar as coisas até ao fim. Não tenho aqui passado tanto como gostaria. Não posso prometer ser muito assídua aqui no blog e não sei se o mesmo não ficará ainda mais parado. A mudança de emprego tem corrido bem, mas agora o meu computador é também a minha ferramenta de trabalho e não tenho muita vontade de lhe pegar quando não estou a trabalhar. Espero que percebam. Há uns tempos ao deslocar-me de Uber para o trabalho, o motorista que me transportava comentou, ao falarmos sobre a questão do confinamento e teletrabalho, que quando não estava a trabalhar não lhe apetecia pegar no telemóvel e andar de carro, nem que fosse como pendura. Explicou-me logo que não era por não gostar do que fazia, mas porque era importante desligar. Percebi-o, claro. Agora faço praticamente o mesmo.

Não escolhi o poema de hoje por o associar ao mês de Junho ou à época do ano. Escolhi-o porque é urgente. É urgente, num momento como este, partilhar amor, partilhar alegrias, permanecer. Num dia como o de hoje, de eleições, é urgente lembrarmo-nos disto. Este é um dos meus poetas de coração.  Acho que li este poema pela primeira vez quanto tinha uns 9 anos. A minha mãe comprava-nos os livros da escola e, ainda antes das aulas começarem, eu começava logo a espreitá-los... Virava as páginas, lia algumas coisas e ficava cheia de vontade de começar as aulas para aprender todas aquelas coisas novas. Acho que este poema estava no meu livro de Português do 4.º ano. Como todos os seus poemas, este também ganhou outra profundidade com a idade. É tão bom envelhecer acompanhada de poesia tão bela como a do Eugénio de Andrade!

 

Urgentemente

 

É urgente o Amor,

É urgente um barco no mar.

 

É urgente destruir certas palavras

ódio, solidão e crueldade,

alguns lamentos,

muitas espadas.

 

É urgente inventar alegria,

multiplicar os beijos, as searas,

é urgente descobrir rosas e rios

e manhãs claras.

 

Cai o silêncio nos ombros,

e a luz impura até doer.

É urgente o amor,

É urgente permanecer.

 

Eugénio de Andrade

De volta a casa

Sofia
25
Nov20

A preguiça de aqui escrever pelo telemóvel fez com que cá não voltasse tão cedo como gostaria (devo ter gasto o limite de caracteres no último post ).

Já faço parte do número de recuperados e pareço outra.  Estou volta à minha casa e a casa está de volta, inteira. Ter ficado fechada no meu quarto tantos dias fez-me sair cheia de vontade de fazer imensas coisas. Até as tarefas domésticas se tornaram coisas boas!  Felizmente o meu namorado não apanhou o bicho. Estranha realidade esta em que apesar de morarmos juntos, por algum tempo, ficámos sem estar juntos. As saudades que eu já tinha da minha alegre casinha, do estar com o meu namorado, de dar abraços... 

Entretanto, a minha mãe e a minha irmã decidiram oferecer-me uma TV para o quarto. Tinha pensado muito nesse assunto e nunca tomei nenhuma decisão porque tinha medo de que o móvel do quarto não aguentasse com uma TV ou que as gatas fizessem asneiras. A minha mãe e a minha irmã resolveram a questão por mim e, para já, parece-me que o móvel se está a aguentar e que as gatas se andam a portar bem. (Mesmo assim, penso em mudar mais tarde o móvel do quarto para uma Kallax. Era a ideia original, mas, por menos 5 cm, optei pela Eket. Só não fazia ideia de que esta estante de similar com a Kallax só tinha mesmo os cubos... Não é tão robusta e a montagem não me inspirou confiança. Era só encaixar, o que poderia correr mal? Afinal, eu já tinha montado uma Kallax de 8 cubos sozinha e tinha corrido tudo bem. O que poderia correr mal? Parti logo uma das peças de encaixe. Stressei comigo e com o meu namorado. Apesar de poder ser falta de jeito, achei também que isto significava algo e que esta estante não era o que eu pensava. Lá a consegui montar em jeito improvisado. Não houve peça de encaixe, houve uns belos pregos à moda antiga, escondidos depois com um autocolantes protectores de chão. Já iam ser ali colocados à mesma por isso a coisa até se safou.)

O final de 2020 aproxima-se e eu nem acredito que estamos há um ano a aturar ouvir falar do bicho e há quase um ano a ter de lidar com ele. Quero que 2021 seja melhor para todos, mas os desejos para o próximo ano ficam para outra altura, mais próximo do fim do ano. Eu sei que agora temos de antecipar tudo, mas, para já, ainda não é preciso antecipar desejos e palavras.

Tenho um nervoso miudinho dentro de mim. No próximo ano já não vou estar a trabalhar no mesmo projecto. Tivemos a notícia este mês e tive de tomar uma decisão para o meu futuro. Como o coração e a razão estavam em sintonia, acho que tomei rápido a decisão de ficar na minha empresa sabendo que isso implica mudar de projecto (e que essa mudança pode implicar alterações no horário, folgas, etc.). Era isso ou manter-me no projecto actual através de outra empresa. Projectos há muitos... Encontrar uma empresa com a qual partilhamos valores e na qual confiamos é que pode não ser assim tão comum.

Num próximo post quero partilhar músicas. Dei comigo a ver vídeos de concertos e a desafinar enquanto via esses vídeos ou apenas ouvia músicas no YouTube... Até tenho medo de dar de caras com algum vizinho quando tiver de sair de casa (e o medo não é por causa do bicho). 

Tenham uma boa noite!

Deixa a vida me levar

Sofia
18
Ago20

Tenho andado a mil à hora. Voltei a andar de transportes e a ir ao escritório. Nesse aspecto, estou feliz, mesmo sabendo que o bicho anda à solta e que corro mais riscos agora.

Soube-me bem voltar a uma espécie de rotina. Abrir o armário e decidir a roupa que vou usar, planear ainda mais as refeições, passear no parque à hora de almoço, ir a pé do trabalho até ao Rossio e ver que a cidade continua bela e apaixonante... (Só tenho falta de escolher o batom que ia usar...)

Nestes aspectos, o regresso ao escritório tem sido revigorante. No entanto, houve algumas alterações no meu trabalho e ainda estou a tentar perceber tudo. Passei para o piso do centro de contactos (call center, para que me entendam mais facilmente). Não é nada de estranho, porque sempre trabalhei na área, mas foi tudo tão rápido que ainda nem assimilei bem a mudança. Parece-me que vou continuar mais ou menos com as mesmas funções (e fico feliz por não ir atender chamadas, ainda que esta linha de apoio pareça muito mais soft do que outra por onde passei). Vou deixar de fazer umas coisas e passo a fazer outras, mas o principal parece que se mantém. Ainda estou a perceber o que vai ser a minha vida daqui para a frente! O ambiente é outro e vou conhecer novos colegas com quem já falei por telefone, email e Teams... Gosto de conhecer novas pessoas, mas vou sentir falta dos colegas do meu antigo piso. Como estamos no mesmo edifício, havemos de nos encontrar (quando não estivermos em casa). Vou aprender coisas novas e isso é o melhor! Adoro aprender coisas novas e odeio estar sempre a fazer o mesmo. Poder ter margem para crescer e fazer outras coisas é bom. Agora, tenho de dizer: VOU MORRER DE SAUDADES DA MINHA ANTIGA SECRETÁRIA!!! Acho que as secretárias deste centro de contactos até são muito jeitosas comparadas com outras que tive noutros sítios, mas nada se pode comparar à minha antiga secretária. Lembro-me do primeiro dia... Cheguei ao 10.º piso e disseram-me "É aqui que vais trabalhar." e apresentaram-me à colega que eu ia substituir. Ela disse-me que eu devia ficar depois naquela secretária quando ela se fosse embora. Luz natural a entrar pelas janelas e uma secretária quase do tamanho da minha mesa da sala, que mais poderia eu querer? Dei comigo a pensar "Acho que só por isto já valeu a pena ter aceitado o desafio da mudança." São pequenos pormenores que podem fazer o nosso dia-a-dia melhor... Ainda assim, apesar de gostar imenso daquela secretária, nunca fiz dela a minha segunda casa. Ao contrário da colega que substituí, não enchi as gavetas com canecas, não tinha imagens bonitas de decoração ou fotos... Para mim é sempre tudo um sítio de passagem e de aprendizagem e se há coisa que aprendi quando comecei a trabalhar é que vivemos num tempo em que não há empregos para a vida. Já que conheci várias colegas com uns 20 anos de casa, podia ter tentado contrariar essa ideia e fazer da secretária uma segunda casa, pensando "vou ficar aqui para sempre", mas não o fiz nem o quis fazer. Tenho de ser sincera, se o fizesse estaria também a contrariar a minha maneira de ser. Gosto de evoluir e tenho de sentir que isso pode acontecer no meu trabalho, caso contrário canso-me e levo os dias mergulhada na angústia e na desmotivação. Inicio uma nova etapa na minha vida profissional e só espero que seja boa!

Zeca Pagodinho - Deixa a Vida Me Levar

Gramofone #5

Sofia
03
Ago20

Chet Baker - Autumn Leaves

 

O momento alto do meu dia deve ter sido quando a minha playlist A começou a tocar a Autumn Leaves. Esperam-me duas longas semanas em que vou andar a penar por causa do trabalho. Fazer parte de uma equipa de duas pessoas tem vantagens, mas tem também a desvantagem de haver mais trabalho quando uma das pessoas vai de férias. Haja música para que os meus dias sejam melhores.

Pensamento do Dia #3

Sofia
21
Jul20

Desde que esta coisa da Covid apareceu que ficámos todos meio desnorteados (ou desnorteados por completo).

Desde quando é que as qualificações do mundial de Snooker são em Julho e o mundial em Julho-Agosto? 

O mundial de Snooker tem muita tradição para mim. Acontecia sempre numa época atarefada da faculdade e eu tinha de alternar o estudo com a TV. Mais tarde comecei a trabalhar e deixei de ter de me preocupar com o estudo ou com os trabalhos da faculdade. A minha única preocupação passou a ser o cansaço, coisa de adultos. Mesmo assim, continuei a relembrar a tradição. Como é que eu vou relembrar agora a tradição se o mundial vai acontecer num período que cheira a praia, a banhos de Sol e de mar?

No meio disto tudo só não me perco nos dias e meses porque, desde que mudei de emprego, passei a saber sempre a quantas ando graças às datas de fecho de extractos e de limite de pagamentos. Sabem aquela pessoa que pergunta se hoje é dia 20 ou 21? Já não sou eu. Passei a ser aquela pessoa que diz "Hoje é dia 21" e pensa "É dia 21, porque amanhã é dia 22 e é uma data limite de pagamento".