Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a world in a grain of sand

um mundo num grão de areia

a world in a grain of sand

Pensamento do Dia #10

Sofia
31
Jul21

Não sei se me quero casar num vestido comprido até aos pés ou até num típico vestido de noiva branco. Não acho piada à ideia da noiva se andar a preocupar com a escolha de um par de sapatos para depois andarem escondidos por baixo do vestido... Por outro lado, chateia-me um pouco pensar em comprar um vestido para só o usar no meu casamento. É verdade que já me aconteceu comprar um vestido que só usei uma vez e que isso nem me chateou. Há amores assim, à primeira vista. Chateou-me mais quando no auge da minha adolescência decidi comprar um vestido de veludo preto e roxo de estilo medieval e fiquei muito infeliz quando percebi que a minha escolha arrojada não seria apropriada para o dia-a-dia. Por muita coragem que tivesse para ir para a escola de botas de biqueira de aço e pulseiras com picos e correntes, não tinha coragem para usar o vestido... Usei-o duas vezes. Era Carnaval. Segundo a minha mãe, cheguei a casa chateada e disse que ninguém me percebida porque julgavam que aquilo era uma máscara. Os dramas dos adolescentes! Agora subi de nível, já estou no nível dos dramas das noivas. Já ouvi dizer que a escolha do vestido também funciona como uma espécie de amor à primeira vista, mas há uma parte de mim que não está a aceitar bem a ideia de vir a ter o meu vestido de casamento guardado com muita estima no meu guarda-vestidos. Conhecendo-me como me conheço, se gostar assim tanto do vestido, vou querer usá-lo até à exaustão, até que vire um lindo farrapo para o qual vou olhar e pensar "Fizeste-me muito feliz! Tenho tantas memórias! Foram tantos dias especiais em que estiveste presente! Vais ser sempre recordado como O vestido! Um de muitos, é certo, mas fazes parte dos eleitos que escolhi para me acompanharem em grandes momentos."

Pensamento do Dia #9

Sofia
20
Dez20

Sinto-me perdida no tempo. Acho que isto é tudo mentira e estou num sonho qualquer há não sei quanto tempo... Como é possível estar a chegar o Natal se eu nem celebrei os Santos Populares?

Talvez seja por este vazio emocional e falta das melhores noites do ano que dou comigo a ouvir o "Cheira a Lisboa" e "O Cochicho" em plena época natalícia...

É por estas e por outras que dizem que o pessoal que lidou com o vírus pode ter problemas na cabeça... Enquanto for só isto estou bem...

De qualquer modo, aproxima-se a passagem de ano. Apesar das diferenças porque habitualmente fico sempre por casa na passagem de ano, há sempre muita música e copos à mistura*, por isso talvez dê para me situar no tempo.

 

* Copos q.b., porque comigo até a água tem efeitos especiais... Tão especiais que a minha irmã e o meu namorado fazem questão de recordar nos almoços ou jantares de família que sou uma espécie de Jesus Cristo porque, aparentemente, também pratico a transubstanciação e transformo a água em vinho, só que internamente... (E sim, eles dizem mesmo isto... Esta ideia não é minha.)

Pensamento do Dia #8

Sofia
15
Out20

Sabemos que estamos a envelhecer quando ficamos acordados até às duas da manhã a ver uma série e no dia seguinte acordamos com uma espécie de ressaca e sensação de que nos passou um camião por cima... Claro que fiz isto porque não trabalhava hoje, se não teria sido tudo ainda mais dramático. Antigamente podia fazer uma noitada a ver séries / anime ou a jogar online e ainda ter um teste no dia a seguir sem que se passasse nada. Há cerca de 10 anos estava eu no Pavilhão Atlântico (que entretanto até já mudou de nome... até posso dizer "ainda sou do tempo em que se chamava Pavilhão Atlântico") a curtir de um concerto dos Metallica com o meu melhor amigo (em vésperas de começarmos a namorar) com um teste de História no dia a seguir... Hoje é isto... 

Pensamente do Dia #7

Sofia
22
Set20

Até a caixa de lixo do meu email sabe que estou mais gorda. Em vez de emails perigosos que fingem ser da Paypal (muito cuidado com esses... e com os outros também) ou de ofertas para comprar Viagra (nunca percebi esses emails) passei a ter direito a um "bye bye fat"...  Felizmente é raro aparecerem emails nesta caixa...

Eu bem queria voltar ao ginásio. Andava a tentar decidir-me se voltava ao antigo ginásio ou se ia para um novo quando apareceu o vírus. Apesar de já sair de casa, ainda não ganhei coragem para algumas coisas. Nunca mais fui a um centro comercial ou uma loja de rua comprar roupa (não é que me faça muita falta, mas se precisar de comprar roupa prefiro fazê-lo numa loja do que encomendar online). Quero ganhar coragem para voltar a ir a um espectáculo ou ir ao cinema, mas ainda não consegui ultrapassar o medo. Quanto ao ginásio, é preciso ganhar coragem duas vezes: coragem para regressar e coragem para enfrentar os tempos que correm. O mais provável é continuar a adiar... Lá vou eu tentar dedicar-me com mais afinco às caminhadas. Pelo menos vou-me mexendo. Que falta me fazem as aulas de RPM...

Pensamento do Dia #6

Sofia
15
Ago20

Choveu aqui no burgo e eu lembrei-me de um dia, na quarentena, ter começado a chover e eu ter visto uma série janelas a abrirem-se para as pessoas tirarem a roupa do estendal. Fui tudo tão rápido e sincronizado que me ficou na memória. (Isto bem explorado dava uma cena engraçada, talvez num musical. Sim, já estou com ideias tolas.)

Hoje, ou não estão tantas pessoas em casa ou não querem saber ou nem se aperceberam. Não sei se ainda chove ou se foi apenas algo temporário. Apenas vi uma das senhoras dos quintais da frente a ir buscar a roupa ao estendal. Isto de observar a vida alheia parece horrível, mas é isto que vejo quando olha pela janela. Prédios e quintais. Gosto sobretudo dos quintais porque têm árvores e há cães e gatos que brincam contentes. Há também um galo e umas galinhas. Antigamente, costumava ouvir o galo a cantar mas não sabia onde estava. Foi num dia de quarentena, enquanto trabalhava, que reparei no malandro aos saltinhos num dos quintais. Reparei que, com a quarentena, houve um quintal que ficou mais arranjado. Comecei a ver a dona de enxada na mão e o quintal a ganhar alguma cor. Bonito.

Não faço isto porque me interesse por saber a vida dos outros. Faço-o despretensiosamente porque sou bastante observadora e porque gosto de contemplar o que está à minha volta. Não me interessam as janelas e o que está lá dentro, mas gosto de ver os quintais com as suas árvores e plantas verdes. Aconteceu-me ver a senhora no quintal por acaso (não bem por acaso porque o quintal é dela). O pior é quando estou a olhar pela janela e parece que alguém numa janela do outro lado está a olhar para a minha casa. Ainda por cima não tenho cortinados porque não sou grande fã...